HISTÓRIA

O Águia de Marabá Futebol Clube foi fundado em 22 de janeiro de 1982, sob o nome de ÁguiaEsporte Clube, e que teve como primeiro presidente o desportista Emivaldo Milhomem, que contou com o apoio do lendário Valtemir Pereira Lima, o Bezourão para fundar a agremiação que foi criada para disputar o Campeonato Marabaense da Segunda Divisão daquele ano. O time era composto por craques como: Déca, Gamito e Keneddi, entre outros, que acabaram levando a equipe ao título da Segunda Divisão em 1984, cuja conquista deu à equipe, o direito de disputar o Campeonato Marabaense da Primeira Divisão, no ano seguinte.

Nesta etapa de sua história, o Águia teve como primeiro presidente José Atlas Pinheiro, o Zé Pinheiro, filho de tradicional família marabaense, ocasião em que o time conquistou três títulos municipais nos anos de: 1989, 1992 e 1993, além de três vices campeonatos em: 1988, 1994 e 1996. Quando do último vice-campeonato, o presidente já era Jorge Nery, que, procurado pelo vereador Sebastião Ferreira Neto, oFerreirinha, no ano de 1999, concordou em transformar o time em “Clube Profissional”, o que acabou acontecendo, devido o apoio do então presidente da Federação Paraense de Futebol (FPF), coronel Antônio Carlos Nunes e da Companhia Vale do Rio Doce, hoje Vale; além de outras empresas locais.

Neste primeiro ano, o Águia de Marabá conquistou o título da Copa Ferreirinha, cujo torneio foi criado para homenagear o mentor da criação do time, Sebastião Ferreira Neto, e disputado por equipes dos estados do Maranhão e Tocantins, além do time anfitrião, que no ano seguinte ficou em segundo lugar do torneio, tendo perdido a final para o Clube do Remo.

 O torneio serviu de preparação para a disputa do Campeonato Paraense de 1999, em cujo torneio o time terminou entre os quatro melhores colocados, com um plantel forte, onde se destacavam: Marcos Garça, Damião, Berg, Paulinho Santarém, Gilberto Pereira e Maurinho, entre outros craques, entretanto o maior destaque da equipe foi o “prata da casa” Corujito, que marcou três gols na competição e sagrou-se artilheiro da equipe no campeonato.

Neste ano de sua fundação, o Águia teve um reforço de peso, conquistado na Casa do Estudante, em Belém, onde os irmãos desportistas: Denner e Donner; e os amigos Sidney Jr. e Jorge criaram a torcida “Filhos e Amigos de Marabá”, que no ano seguinte se uniu à Torcida do Águia de Marabá, para realizarem a fusão que resultou na Torcida Organizada do Águia de Marabá (TOAM), que a partir daquele ano, passou a acompanhar o time durante as disputas oficiais e amistosas.

Nos dois anos seguintes, o time sagrou-se campeão do interior, título recomendado a equipe interiorana melhor classificada na competição, e justamente devido a este boa performance no torneio, a equipe marabaense garantiu direito de disputar a Série C do Campeonato Brasileiro, onde teve atuações discretas, porém, acima da expectativa da diretoria e torcida aguiana, o maior destaque da agremiação azulina foi o atacante Marquinhos, oriundo do futebol amador de Marabá. O jogador, é considerado por muitos cronistas locais, como um dos principais atletas da equipe desde sua fundação.

Em 2002 o time não teve boa participação no certame estadual, e terminou a temporada sendo treinado pelo diretor de futebol João Galvão, que no ano seguinte levou a equipe a sua maior façanha até o momento, que foi derrotar o Paysandu por 1 a 0, com gol de Carlos Wálber, dentro Curuzu lotada, com o adendo da equipe da capital está realizando excelente campanha na Taça Libertadores da América, e justamente após o time bicolor haver goleado o Universidade Católica, no Chile, por 5 a 2, com destaque para: Robgol, Yarlei, Sandro, Gino, Jorginho e outras feras, que não viram a cor da bola contra o time de Marabá.

Nos anos seguintes, o Águia passou a deter o respeito dos grandes clubes do estado, além de ter adquirido moral junto a imprensa, torcida e desportistas de todo o estado e região, fato que despertou o interesse de vários jogadores de virem jogar na equipe azulina.

Essa credibilidade fez a diretoria aguiana contratar vários jogadores de renome do futebol brasileiro, com destaque para: Ailton (ex-Flamengo), Marcos Garça (ex-Guarani), Cláudio (ex-Atlético Mineiro), Erasmo (ex-Palmeiras), Márcio Santos (ex-Olaria), entre outros grandes jogadores que tiveram passagem marcante pela equipe marabaense.

Ainda hoje, o time aguiano é muito pretendido por jogadores de várias equipes de todas as partes do país, que são atraídos pela seriedade da diretoria aguiana, que honra seus compromissos com jogadores e demais profissionais contratados para integrar o time durante as ininterruptas temporadas.

PESQUISA/TEXTO: BIRA RAMOS